Livros

Resenha- 1922

20 de outubro de 2017

Oi pessoal, sextou e estou aqui com mais um conto para vocês. Para quem ainda não sabe eu e o Luke do Um Café Com Lukeresolvemos nesse mês de terror postar uma resenha toda quinta( eu sei somos atrasados) de algum conto. E eu resolvi que vocês que escolhessem o que eu leria, por isso criei uma enquete lá no stories do insta @dicaasdaisa e o escolhido da semana foi 1922 do Stephen King e eu achando que ia ter folga dele depois de IT , doce ilusão (HAHA).

O conto 1922, se encontra no livro Escuridão Total Sem Estrelas, é o primeiro conto de outros três. No qual fiquei curiosa para ler os outros, porém quero comprar o livro, então paciência dona Isa.Vale ressaltar que hoje estreia na Netflix a adaptação deste conto e em breve trago resenha.

Na historia somos apresentados a Wilfred James ele vive com seu filho Henry Freeman James e sua esposa, Arlette James, em uma fazenda em Hemingford Home, Nebrasca. Enquanto Wilfred é o típico fazendeiro esperançoso, que planeja prosperar com suas terras, sua esposa, Arlette, é o tipo de mulher sonhadora que não consegue imaginar seu futuro em uma fazenda. Ela é dona de 100 acres, ao lado dos 80 do marido e planeja vender a sua parte para uma companhia que planeja instalar ali uma de suas fábricas de produtos alimentícios. Wilfred se vê acoado pela esposa e acaba arquitetando um plano macabro que envolve mentiras e assassinato. Para isso, porém, ele precisará envenenar a mente de seu filho Henry, de apenas 14 anos, para que possa ajudá-lo a levar a frente seu plano macabro.

Primeiro conto que leio do King e que surpresa boa eu tive, esse homem é uma caixa de surpresas ambulante. O conto é narrado em primeira pessoa, por Wilfred, é meio que uma carta de confissão, pois ele admite a culpa pelo crime e conta em detalhes como fez isso. Como cometeu o assassinato de sua esposa, como escondeu seu corpo, e, entre outras coisas, a maneira como as coisas pareceram “desandar” depois da morte dela. Não irei me aprofundar, apesar de ser um conto longo, é melhor vocês se surpreenderem.

Lendo este relato tão pessoal, me mostrou como os seres humanos muitas vezes conseguem ser mais cruéis do que os monstros que o Tio King cria.  E nos dá um exemplo de como certos caminhos podem nos levar ao fundo do poço. Literalmente. A narração do conto, a confissão em primeira pessoa, colabora para que o leitor se sinta mais próximo do protagonista e admito que isso também me perturbou um pouco. É como se sentir cúmplice, não só de um assassinato, mas de toda uma sequência de acontecimentos infelizes.

Título: 1922 – Autor: Stephen King– Onde Comprar: Amazon  Classificação: 5/5 
  1. Isa, compartilhei dessa mesma sensação quando li o conto e tive que dar um tempo para ler os outros contos do livro depois, esse texto é bem perturbador, o ser humano é podre!
    Semana que vem é a última hein! Força pra nós <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *